bnb

quinta-feira, 25 de maio de 2017

"Temer comprovou inviabilidade do governo", diz Chico Lopes


Ao acionar as Forças Armadas para irem às ruas contra manifestantes em Brasília ontem (quarta-feira, 24) Michel Temer mostrou desespero e comprovou que não tem condições de continuar ocupando o cargo de presidente da República ". A afirmação é do deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE), para quem Temer afrontou os direitos individuais e coletivos, em uma ação típica de ditadura, que só reforça a inviabilidade do atual governo e a urgência de eleições diretas.
"Essa é uma situação gravíssima! Esse decreto do Temer já está sendo repudiado por toda a sociedade. Nosso País não quer e não aceita viver um repeteco do que aconteceu em 1964", aponta Chico Lopes, destacando que Temer não mede consequências para tentar se agarrar ao cargo.
"É inaceitável que mais de 100 parlamentares, junto com milhares de cidadãos de todos os estados brasileiros reunidos em Brasília nesta quarta-feira, tenham sofrido violência em um momento de manifestação legítima e democrática do povo brasileiro. Como se não bastasse, Temer vem com esse novo decreto, mostrando desespero", acrescenta Chico Lopes. "É preciso garantir o estado democrático de Direito no nosso País e o direito à manifestação".
Governo inviável; Diretas Já
"Tudo que o povo fez, para que o presidente tenha publicado esse decreto, foi se manifestar pelo 'Fora Temer' e contra as reformas trabalhista e previdenciária. Isso é direito do povo, assegurado pela Constituição", complementa o deputado cearense.
"Temer só demonstrou mais uma vez que seu governo na verdade já acabou. Já estava em uma situação extremamente difícil e agora ficou totalmente inviável. As Diretas Já se tornam ainda mais importantes e urgentes", acrescenta Chico Lopes. "O povo exige eleição direta e deixou isso claro nas ruas. E não adianta reprimir nem ameaçar. Outras manifestações vão vir, ainda maiores", aponta.