bnb

sexta-feira, 10 de março de 2017

Eleição no sindicato pode definir greve em Juazeiro do Norte

No último dia 2, insatisfeitos servidores cercaram prefeito Arnon na praça da prefeitura (Foto: Flávio Pinto)


Os profissionais do magistério de Juazeiro do Norte lamentaram a proposta da administração Arnon Bezerra para a categoria no tocante ao reajuste anual no salário e os professores admitem a possibilidade de greve a partir da segunda quinzena de março.
De acordo com o sindicato, apesar do Governo Federal ter concedido reajuste de pouco mais de 7% no piso nacional, a administração municipal reluta em repassar o percentual e a discutir o aumento que a categoria reivindica.
A intransigência, segundo os dirigentes, deve levar a formação de uma equipe intersindical para discutir o início do movimento paredista. "Hoje (10) temos eleição para o Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte (Sinsemjun) e qualquer que seja a chapa vencedora, seus integrantes são favoráveis a paralisação, caso a prefeitura mantenha atual postura, pois até agora não respondeu ao documento reivindicatório entregue em janeiro passado", afirmou o professor Edilberto Gonçalves, da comissão eleitoral.
A prefeitura, segundo o sindicato, contratou dois especialistas (consultores) para elaborar um estudo sobre o reajuste dos servidores, o que tem desagradado as categorias que compõem o Sinsemjun. "Não há o que discutir em relação aos professores, pois a lei atrela o reajuste anual ao aumento do piso nacional. Não existe dúvida sobre isso, mas mesmo assim, não fomos procurados. Além do mais, quando se contrata consultores é porque querem tirar vantagens dos servidores", completou Edilberto.
Conforme a advogada do Sinsemjun, Romênia Botelho, somente na quarta-feira (8), a prefeitura enviou uma advogada para apresentar a proposta inicial da administração Arnon Bezerra. "A prefeitura pediu 45 dias para elaborar o estudo da folha de pagamento. Já com relação aos professores, até 31 de março a administração municipal deve apresentar o reajuste salarial. Claro que as duas situações foram rejeitadas pelos servidores", disse a advogada.
VAMOS NÓS: Nos últimos anos, o governo Raimundo Macedo foi marcado pela greve que atingiu os quatro anos (2013-2016). O resultado disse foi ter deixado Juazeiro na pior avaliação entre os 184 municípios cearense no ranking da SPACE ((Sistema Permanente de Avaliação da Educação do Ceara).
E agora, Juazeiro Merece?