sábado, 28 de fevereiro de 2015

Vida do médium Divaldo Franco vai virar filme


A Estação Luz Filmes anuncia sua próxima produção na linha do Cinema Transcendental. Com o título provisório “Divaldo Franco”, o longa-metragem enfocará a vida e obra do médium baiano Divaldo Pereira Franco (foto), considerado a personalidade mais importante do Espiritismo hoje no Brasil, além de escritor, consagrado conferencista internacional e criador, junto com Nilson de Souza Pereira (1924-2013), o Tio Nilson, da Mansão do Caminho, obra social na periferia de Salvador (BA), que há mais de 40 anos assiste crianças e adolescentes.
 O roteiro está em elaboração pelo cineasta e professor Glauber Paiva Filho, pela jornalista Rosália Figueiredo e pelo roteirista Osiel Neto. O trabalho tem a coordenação de Glauber, que já roteirizou e dirigiu outras produções emblemáticas da Estação da Luz Filmes, entre elas “Bezerra de Menezes, o Diário de um Espírito”, com Joe Pimentel, e as “As Mães de Chico”, com Halder Gomes, filme inspirado no livro “Por Trás do Véu de Isis”, de Marcel Souto Maior.
 Para escrever o roteiro, a equipe está se baseando em entrevistas de Divaldo feita por Glauber Filho, bem como gravações feitas na Casa do Caminho, além de obras sobre o médium.  “É um rico material com 10 horas de depoimentos e estamos também lendo algumas biografias, mas o filme não será uma adaptação de obras literárias”, esclarece o cineasta.
 O filme, segundo Glauber, será uma “ficção biográfica” e, embora Divaldo seja considerado por muitos o sucessor do grande médium mineiro Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier (1910-2012), o longa não será nessa linha. “Não estamos trabalhando a ideia de sucessor de Chico, pois não acredito nisso e nem Divaldo. Será Divaldo por Divaldo! Um grande médium e humanista, que pode se assemelhar a Chico em algumas características, porém outras são bem distintas, como o trabalho da Mansão do Caminho, por exemplo, diz. Ainda não está definido o ator que representará Divaldo na película.    
 “Há dois anos temos a autorização de Divaldo para fazer o filme”, explica o diretor executivo da Luz Filmes, Sidney Girão. Ele conta que Divaldo sempre apoiou os projetos da produtora cearense. “Foi um grande incentivador do filme ‘Bezerra de Menezes, o Diário de um Espírito’. Ele chegou a participar de uma exibição especial do longa no Congresso Espírita Mundial em Cartagena (Colômbia), em 2007”, relembra Sidney.
A Luz Filmes, por sua vez, tem grande admiração e respeito por Divaldo. “De comum acordo, resolvemos fazer um filme sobre a vida dele, para que sirva de inspiração para todos nós”, afirma Sidney.
 MEDIUNIDADE E TRABALHO SOCIAL
 A trajetória de Divaldo Franco desde o seu nascimento até os dias atuais estará no roteiro. Na proposta inicial, o filme começa com uma conversa entre ele e sua mentora espiritual Joana de Angelis. Enquanto se prepara para dar uma palestra, os dois relembram de momentos da vida do médium.  Nascido em 1927, no dia 5 de maio, na cidade de Feira de Santana (BA), o médium Divaldo Pereira Franco é o 13º filho do casal D. Ana e Seu Francisco, uma dona de casa e um pequeno comerciante.
 Criado numa família católica, Divaldo, por meio da mediunidade, desde a infância teve uma relação estreita com o mundo espiritual. Já aos quatro anos, costumava ver e conversar com “uma bela senhora com camafeu afixado ao peito”, identificada como a falecida avó do menino. Na época, o padre da igreja frequentada por Divaldo atribuía os relatos e fenômenos que ocorriam com o garoto a “influências do mal”.
 Divaldo cresce mantendo contato com espíritos desde os amigáveis aos obsessores. Por pertencer a uma família católica, só na juventude, com a ajuda de uma médium de Salvador, passa a entender o dom que é detentor e a frequentar um centro espírita. Por muitos anos é atormentado por um obsessor, mas em sua vida tem o amparo espiritual da mentora Joana de Ângelis. De início, ela se identificava apenas como uma entidade amiga. Com o tempo, passou a desenvolver o trabalho de psicografia de diversas obras, que se mantém até a atualidade.
 O filme também vai mostrar dois encontros fundamentais na história de Divaldo. Um é com Chico Xavier, num evento em Sergipe. Tempos depois, o baiano vai a Minas Gerais, onde passa uns dias com Chico, e recebe importantes ensinamentos sobre mediunidade e as suas responsabilidades e implicações na vida terrena.
 Outro encontro é com Nilson de Souza Pereira, que se tornará o grande parceiro na construção da Mansão do Caminho, obra social do Centro Espírita Caminho da Redenção, localizada na Rua Jayme Vieira Lima, nº 104, no bairro Pau da Lima, em Salvador. Ali serviços de saúde e educação básica são ofertados gratuitamente a crianças e adolescentes pobres.
 Por meio das viagens de Divaldo pelo Brasil e diversos países do mundo, a obra vai sendo conhecida. Com palestras, psicografias, psicofonias e lançamento de obras do medium é garantido o sustento da Mansão. Nestas ocasiões Divaldo é sempre auxiliado por Joana.
 (Agência da Boa Notícia)