quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Engenheiro acusado de matar empresário vai a julgamento nesta sexta-feira

A 2ª Vara do Júri de Fortaleza levará a julgamento, nesta sexta-feira (27), o engenheiro Egberto Carneiro da Cunha Neto, acusado de ser o mandante da morte do empresário Ronaldo Castro Barbosa. O júri, que será presidido pelo juiz Henrique Jorge Holanda Silveira, ocorrerá no Fórum Clóvis Beviláqua, a partir das 8 horas.
A vítima, à época presidente da Construtora Colméia, foi assassinado a tiros, no dia 6 de junho de 1995, na rua Costa Barros, bairro Aldeota, em Fortaleza, quando saía do trabalho, por volta de 20h30. Ao tentar entrar em seu carro, ele foi abordado por um homem armado com revólver, que disparou duas vezes e fugiu em moto guiada por um comparsa.
Egberto Carneiro, acusado de ter encomendado o homicídio, já chegou a ser julgado pelo crime, em 2007, e condenado a 14 anos de reclusão. No entanto, a defesa dele, patrocinada pelo advogado Clayton Marinho, recorreu da sentença, alegando que o Ministério Público havia usado, na acusação em plenário, depoimento prestado por testemunha de outro processo, sem obedecer ao princípio do contraditório.
A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) julgou procedente a apelação e, em 2012, anulou o primeiro julgamento, determinando que o réu fosse submetido a novo júri popular. Ele responderá novamente pelo crime de homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), realizado em concurso de agentes (quando duas ou mais pessoas participam da infração penal). A acusação será feita pela promotora de Justiça Alice Iracema Melo Aragão.
Também já foram julgados pelo crime os réus Francisco Xavier Feitosa (16 anos de reclusão), João Wabner Silva (14 anos de prisão) e Valdenor Guimarães (14 anos de reclusão).
(TJCE)