segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Suplentes de olho na Assembleia Legislativa

No último dia cinco de outubro foram eleitos 24 novos deputados para a composição da Assembleia Legislativa do Ceará para a próxima Legislatura. Com o resultado das urnas, alguns parlamentares não conseguiram o intento de se reelegerem, e, agora suplentes, aguardam assumir a função parlamentar pelos próximos anos, caso o governador eleito, Camilo Santana, convoque deputados eleitos para a composição de seu secretariado.
Leonardo Pinheiro (PSD), Professor Teodoro (PSD), Fernando Hugo (SD), Dedé Teixeira (PT) e Rachel Marques (PT) são os deputados da atual Legislatura que não conseguiram reeleição e estão na expectativa de poderem ser empossados na vaga de um dos titulares eleitos. Eles fazem parte da coligação formada por PRB, PT, PTB, PSL, PHS, PV, PSD, SD e PROS que conseguiu eleger 22 deputados para os próximos quatro anos.
Primeiro suplente da coligação, o deputado Leonardo Pinheiro, que está em seu primeiro mandato eletivo, disse que pretende permanecer como parlamentar na Casa Legislativa, ressaltando, porém, que caso haja algum convite para Secretaria, iria pensar a respeito. No entanto, deixou claro que, com a indicação de nomes de parlamentares para o Poder Executivo, prefere permanecer na Assembleia.
Conforme informou, há a possibilidade de o deputado Ivo Gomes (PROS) ser chamado para uma pasta, do Governo do Estado ou até mesmo da Prefeitura de Fortaleza, uma vez que foi secretário Municipal de Educação. “Eu conversei com ele, e acho que ele pode ir para o (Governo do) Estado”, afirmou. Pinheiro, assim como os outros suplentes, estava aguardando as indicações do governador Camilo Santana até o dia 20 de dezembro, um dia após a diplomação realizada ontem.
O deputado Professor Teodoro afirmou que todos os suplentes estavam “sonhando” com uma convocação por parte do Poder Executivo de alguns parlamentares eleitos para a próxima Legislatura, ressaltando ainda que isso é comum nas relações entre Governo e Casa, assim como o foi nos governos de Cid Gomes.
No segundo mandato do atual governador, iniciado em 2011, foram chamados para assumirem pastas, seis deputados estaduais eleitos: Mauro Filho, Camilo Santana, Nelson Martins, Ivo Gomes, Professor Pinheiro e Gony Arruda “A nossa expectativa é de sermos chamados e entrarmos, uma vez que, no meu caso, eu obtive 39 mil votos, bem mais do que muitos (deputados) que entraram”.
Comentários nos bastidores da Assembleia diziam respeito sobre a possibilidade de o deputado Dedé Teixeira (PT) ser chamado para a composição do secretariado do novo Governo, o que abriria outra vaga para os suplentes. No entanto, o parlamentar não confirma a informação, e disse que pretende contribuir com a nova gestão, seja no Poder Executivo ou Legislativo.
“Há muita expectativa, mas nossa ideia é estar à disposição, seja no Executivo ou aqui na Casa. Estamos aguardando um posicionamento dele (Camilo Santana), para saber qual é a melhor forma de ajudá-lo”, disse.
Dos deputados da atual Legislatura que não conseguiram se reeleger, a situação de Fernando Hugo (SD) é a mais complicada, uma vez que, mesmo sendo suplente da coligação que ajudou a eleger Camilo Santana, o parlamentar não apoiou a candidatura do petista, se rebelando junto com a maior parte dos deputados do Solidariedade. Hugo, que está na terceira suplência do bloco, disse que ficou “transtornado” ao não ser reeleito, uma vez que, conforme disse, tem “estima e amor” pela Assembleia.
“Estou disposto a vir a essa Assembleia, caso ocorra algum chamamento objetivo. Porém, é público e notório que o governador Camilo Santana foi eleito pela indicação do governador Cid Gomes, e Ferreira gomes pessoas que tenho parceria desde que cheguei aqui em 1991. Sem dúvidas alguma o governador Camilo Santana sabe do meu antipetismo, principalmente, pelos escândalos seqüenciais que ocorreram”, disse ele.
Atual líder do PT na Assembleia, Rachel Marques afirmou que as discussões sobre convocações estão sendo tratadas entre a presidência dos partidos, juntamente, com Camilo Santana. Ela também destacou que está á disposição da sigla e do governador, preferindo não colocar qual sua preferência. No entanto, ela ressaltou que sua maior trajetória de experiência tem sido realizada na Casa, onde está no terceiro mandato.
(DN)