sexta-feira, 25 de abril de 2014

Audiência Pública pra quem?

Capitão Vieira vai presidir a Audiência Pública. (Foto: Flávio Pinto)

A sessão da Câmara Municipal desta quinta-feira (24) nada interessante, apenas muita falácia. Mas, um fato me chamou atenção. Foi durante a fala do vereador Normando Sóracles (PSL), que insistiu junto ao presidente da mesa diretora, vereador Capitão Vieira Neto (PTN), a viabilidade da Câmara transmitir ao vivo via rádio a Audiência Pública que acontece hoje num hotel de Juazeiro do Norte. Vieira foi categórico ao dar um não, alegando despesas, as quais a casa não teria como arcar.
Ora bolas!
Todos sabem que os recursos da casa não são poucos. São destinados por interesses, muita vezes, pessoal. Então alegar falta de verba é falácia. Como se explicar gastos de R$ 6.500,00 ao mês na manutenção de um site? Como justificar a nomeação de 81 assessores parlamentares e a população sequer tomar conhecimento da audiência pública que deveria ser uma agenda positiva da casa? Cadê os assessores, senhor presidente? Onde estão e o que faz a sua maior parte?
Agora voltando ao pedido de Normando, todos sabem que o nobre vereador é de um dos maiores site do Ceará, e possui um van apropriada para transmissões ao vivo, podendo, assim queira, realizar o trabalho como faz nos Encontros Regionais do PMDB pelo interior do Estado. Além do mais, trabalha numa emissora de rádio que, com certeza, não iria se contrapor a ideia. E tem mais, porque o site não vem divulgado a audiência?. Pelo menos até às 8 horas desta sexta-feira (25), não havia sido publicada. Se vereador quer uma agenda positiva, primeiro deve contribuir com sua parte.
Como sempre acontece nas sessões do Poder Legislativo, as ideias são brilhantes, mas a realização é zero.
E pelo jeito essa audiência não surtirá o efeito desejado, devendo contar com a presença de poucos convidados.
Mas torço pra que tudo dê certo.
Só assim, a população tomará conhecimento de algo positivo do nosso Poder Legislativo e que os vereadores também possam ser cobrados pela população juazeirense a prestar contas nos bairros e na periferia da cidade, onde muitos por sinal, foram vistos antes das abertura das urnas em 2012.