sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Polícia pensa em oferecer benefício da delação premiada a acusados no "Escândalo das Vassouras"

Para marcar uma de suas últimas ações à frente do inquérito policial que apura o "Escândalo das Vassouras", o  delegado Tenório de Brito estuda a viabilidade de enquadrar uma ou mais testemunhas na Lei 12.850 do Código Penal Brasileiro (Delação Premiada).
Como já está configurado o crime de formação de quadrilha e/ou associação de bando para a prática de ações criminosas, o delegado espera oferecer alguém  "importante" dentro do que já foi apurado para ser beneficiado pela lei.
Com o benefício o réu (quando o inquérito virar processo na Justiça), pode ter a pena reduzida ou até mesmo ficar imputável, caso decida colaborar com as investigações repassando informações precisas e importantes para a conclusão do processo.
Conversa nesse sentido, o delegado já estão bem adiantadas e conta com o apoio do Ministério Público.